O Governo dotou, este ano, a Rede de Cuidados Continuados com mais 600 camas a nível nacional. O balanço foi feito pelo secretário de Estado Adjunto da Saúde, em Paredes de Coura. Fernando Araújo garantiu ser "a maior abertura dos últimos anos".

Estamos a apostar nas pessoas mais vulnerárias. Havia unidades que estavam muitas vezes preparadas e prontas. O nosso objetivo é abrir, ter soluções para os utentes, investir na recuperação das pessoas.

O governante, que falava durante a inauguração desta Unidade de Cuidados Continuados Integrados (UCCI) da aquela vila do Alto Minho, disse que a medida "reflete a aposta do Governo numa rede que esteve parada, suspensa nos últimos anos".

Adiantou, também, que o Norte "é das regiões mais avançada nesta área, com 2.469 camas e de 3.829 lugares de acompanhamento domiciliário".

A UCCI de Paredes de Coura, gerida pela Santa Casa da Misericórdia local e dotada de 22 camas representou um investimento superior a um milhão de euros, financiada em 50% pelo programa Modelar.

De acordo com Fernando Araújo, no distrito de Viana do Castelo, "foram calculadas como necessárias 227 camas estando atualmente em funcionamento 218 o que representa uma taxa de cobertura de cerca de 96%, uma das melhores a nível nacional".

Aquela unidade, que vai começar a funcional no dia 02 de janeiro de 2017, permitiu a criação de 20 postos de trabalho, entre médicos, enfermeiros, psicólogos, psiquiatras, fisioterapeutas e pessoal auxiliar.

Segundo o provedor da Santa da Misericórdia de Paredes de Coura, Pereira Júnior "era um sonho" que a instituição, com 132 anos, perseguia há mais de uma década por representar uma necessidade enorme do concelho".

Aquela unidade resultou da requalificação e adaptação do antigo hospital da Santa Casa da Misericórdia, às novas funções.