O Sindicato Nacional dos Técnicos Superiores de Diagnóstico e Terapêutica, que tem em curso uma greve, anunciou hoje que a pedido do Instituto Português do Sangue e Transplantação “vai reforçar os serviços mínimos” nesse serviço na quadra natalícia.

O sindicato afirma em comunicado que esta decisão repete o já acordado em 2017, "porque em causa estão serviços que permitam assegurar as reservas adequadas de componentes sanguíneos e a atividade de transplantação”.

Entramos num período em que o movimento nas estradas aumenta e com este aumento existe uma forte probabilidade de acidentes de viação que podem levar a um maior consumo de sangue. Sendo os dirigentes deste sindicato profissionais responsáveis e que acima de tudo não pretendem pôr em risco a vida dos portugueses, foi acordado entre as partes o reforço dos serviços mínimos neste serviço”, declara na nota o presidente do sindicato, Luís Dupont.

Segundo o comunicado, os serviços mínimos acordados dizem respeito aos serviços que laboram ininterruptamente nos sete dias da semana e as equipas que asseguram os serviços mínimos terão a mesma composição e natureza dos serviços existente aos domingos, "desde que os Técnicos de Diagnóstico e Terapêutica nesses serviços prestem cuidados durante 24 horas”.

A organização da composição das equipas responsáveis pelos serviços mínimos é da responsabilidade dos respetivos profissionais, salvo se ocorrerem situações extraordinárias e não previsíveis para o período da greve e “caso se verifique que os não grevistas são em número igual ou superior aos que seriam necessários para assegurar os serviços mínimos, cabe a estes garantir os mesmos”, adianta o documento.

Os grevistas não têm o dever legal de render os trabalhadores não aderentes à greve findo o turno destes”, adianta a estrutura, garantindo que assegurará outras questões de caráter técnico.

O sindicato recorda que os técnicos de diagnóstico e terapêutica se encontram em greve desde 05 de dezembro e que a mesma se prolongará, em dias intercalados, até ao final do ano (05, 06, 11, 12, 14, 18, 19, 21, 26, 27, 28 e 31 de dezembro).

De acordo com o sindicato, nos primeiros dias de greve a adesão foi de 100% em diversas instituições e de 85% na média nacional.