O Sindicato dos Médicos da Zona Sul (SMZS/FNAM) denunciou, esta segunda-feira, uma tentativa de agressão de um utente a uma médica grávida, no Centro Hospitalar Universitário de Lisboa Central (CHULC), na semana passada.

Através de um comunicado enviado às redações, o sindicato considera que este é "mais um caso inaceitável, que evidencia a falta de segurança nos locais de trabalho".

De acordo com a nota, tudo terá começado quando a médica grávida desaconselhou uma troca de medicamentos pretendida pelo utente. 

A médica grávida desaconselhou a troca de medicamentos pretendida por um utente e, perante essa situação, o utente iniciou uma escalada de violência, proferindo ameaças verbais contra a integridade física da médica e tentando dar-lhe um murro, depois de esta ter dito que iria chamar a equipa de segurança", lê-se no comunicado.

"Posteriormente, o utente continuou com ameaças verbais na sala de espera, perturbando o bom funcionamento do serviço", acrescenta o sindicato. 

O sindicato refere que vai prestar apoio jurídico à colega, "em nome da defesa dos seus associados e em defesa do Serviço Nacional de Saúde".

/ SS