Com o Algarve em seca "severa e extrema", o Governo poderá vir a estabelecer quotas nos regadios agrícolas.

As barragens do sotavento algarvio estão a cerca de 30% da capacidade e as águas subterrâneas, as mais usadas nas explorações, abaixo dos 20%.

Os especialistas deixam o alerta: a sustentabilidade da atividade agrícola está em risco.

O geógrafo Afonso do Ó fez um doutoramento com tese sobre a seca e é especialista em recursos hídricos com trabalhos feitos para a Comissão Europeia. Diz que Portugal vive da água que não tem, sobretudo no sul do país, onde os agricultores usam água que abastece as populações.