O número de casos de violência doméstica aumentou dez por cento em 2009, num total de 30 571 participações feitas às forças de segurança, indica o Relatório Anual de Segurança Interna (RASI), noticia a Lusa.

À semelhança do que aconteceu em 2008, foram as mulheres as maiores vítimas de violência em casa, representando 82,6 por cento das participações policiais.

Do total de queixas, cerca de 82,8 por cento das vítimas tinham 25 anos ou mais.

Em contraponto, foi sobre os homens que recaiu quase a totalidade das denúncias às autoridades, com 87,6 por cento dos casos, dos quais mais de 93 por cento tinham 25 anos ou mais.

Embora o aumento registado no ano passado seja menor que o ocorrido em 2008 (26,6 por cento em relação a 2007), a tendência de crescimento deste tipo de crime mantém-se.

Em 2009, em relação ao grau de parentesco, em quase 64 por cento dos casos a vítima era cônjuge ou companheiro do agressor e em 13,5 por cento das participações era ex-cônjuge ou ex-companheiro.

Das situações denunciadas, 12,1 por cento das vítimas eram filhos ou enteados dos agressores.

O documento, aprovado esta quinta-feira em Conselho de Ministros, e tal como aconteceu em 2008, refere que foi nos distritos de Lisboa, Porto, Setúbal, Aveiro e Braga que se registaram mais participações deste tipo de criminalidade.
Redação