A Polícia Judiciária (PJ) informou esta terça-feira que concluiu a investigação sobre a morte de uma mulher em Corroios, no Seixal, esclarecendo que o incidente ocorreu “por motivos de doença” e não por homicídio, como inicialmente apontado.

O inquérito será agora remetido à autoridade judiciária competente, com as conclusões da investigação, as quais apontam, inequivocamente, para a ocorrência de uma morte por motivo de doença, sem qualquer intervenção de terceiros”, revelou a PJ, em comunicado.

A morte da mulher de 46 anos ocorreu no dia 6 de março, no Seixal, distrito de Setúbal, e, segundo aquela autoridade, a investigação iniciou-se “por suspeita de homicídio, num eventual quadro de violência doméstica”.

No dia da morte, fonte do comando nacional da PSP informou à Lusa que uma mulher teria sido “morta com recurso a arma branca” em Corroios, tendo sido encontrada na zona do hall, no interior de um prédio.

No entanto, já no dia 7 de março, fonte da PSP esclareceu que poderia não se tratar de um crime.

Os primeiros indícios apontavam para homicídio, mas temos informação que admite a hipótese de não se tratar de um crime. Os exames médicos é que vão determinar, estando a investigação a ser conduzida pela Polícia Judiciária”, disse à Lusa fonte do comando nacional da PSP.

O caso ocorreu pelas 19:25 na rua António Sérgio, em Corroios, concelho do Seixal.

Foram chamados ao local a PSP, os bombeiros do Seixal e a Viatura Médica de Emergência e Reanimação (VMER) do hospital Garcia de Orta, tendo o óbito sido declarado no local.