Um vídeo divulgado nas redes sociais mostra vários agentes da PSP da Esquadra da Cruz de Pau envolvidos em confrontos, este domingo de manhã, com vários indíviduos no Bairro da Jamaica, no Seixal. No vídeo, os agentes são acusados de racismo e de agredirem uma jovem e a mãe desta por causa da cor de pele.

"Os polícias de Portugal são tão corruptos ao ponto de baterem no pai de um jovem (...). Estão a bater na própria mãe do jovem. Vejam como os polícias trabalham. Vejam como o racismo aqui em Portugal é quando se trata de ser negro", ouve-se a mulher que filmou o vídeo a dizer.

Em comunicado, a PSP revela que foram chamados ao local por causa de uma "desordem entre vários indivíduos do sexo feminino" e que quando os agentes chegaram ao local foram recebidos por indivíduos que "arremessaram pedras".

"Na abordagem policial para perceber as circunstâncias da ocorrência e na identificação dos indivíduos envolvidos registaram-se algumas reações contra a intervenção policial por parte de indivíduos residentes naquele bairro, que arremessaram pedras em direção do efetivo policial, tendo causado ferimentos na boca de um dos polícias, o qual teve necessidade de receber tratamento hospitalar. O suspeito do arremesso da pedra contra o elemento policial foi detido, tendo reagido de forma violenta à ação policial, assim como outros indivíduos do bairro, que tentaram, através do arremesso de vários objectos e de ações físicas agressivas, impedir que a polícia exercesse a sua autoridade e consumasse a detenção. Nesta sequência, os elementos policiais ali presentes - que foram obrigados a solicitar o reforço de uma Equipa de Intervenção Rápida - tiveram que usar da força estritamente necessária para por cobro às agressões de que estavam a ser alvo, para repor a ordem pública e, ao mesmo tempo, para consumar a detenção do suspeito de agressão ao polícia. Na sequência desta intervenção há assinalar ferimentos em dois polícias e num civil", acrescenta o comunicado.

O suspeito detido é um homem de 31 anos que será presente a tribunal. Um dos agentes da PSP teve de ser assistido no Hospital Garcia de Orta, em Almada.

A Direção Nacional da PSP abriu inquérito interno para apurar as responsabilidades.