A PSP deteve quatro pessoas que participavam numa festa ilegal na manhã de domingo, no Seixal, na sequência de uma fiscalização policial a um estabelecimento de diversão noturna na Amora, foi hoje anunciado.

Em comunicado, o Comando Distrital de Setúbal adianta que as detenções ocorreram pelas 08:45.

“O estabelecimento, a funcionar como discoteca, antecipou o horário de funcionamento, abrindo de madrugada e prolongando o evento pela manhã, como tentativa de iludir a fiscalização pela PSP das normas do estado de emergência, que impedem a abertura das discotecas”, pode ler-se no comunicado.

De acordo com as forças policiais, encontravam-se cerca de 60 pessoas na zona de esplanada a consumir.

O estabelecimento de diversão noturna, que desrespeitou a decisão administrativa da Câmara Municipal do Seixal de encerramento do espaço, segundo a PSP, difundia música audível, enquanto os trabalhadores serviam às mesas e processavam “pedidos variados de géneros alimentícios e bebidas”.

No âmbito da operação policial foram detidos a responsável do estabelecimento, de 51 anos, pelo crime de desobediência de cessação de utilização do espaço e um funcionário, de 22 anos, por posse de arma proibida.

A PSP deteve ainda dois clientes, um homem de 27 anos e uma mulher de 23 anos, por tráfico de droga, tendo sido identificados outros seis por posse de narcóticos.

No decorrer da fiscalização, as autoridades apreenderam também um revolver de calibre 38 com quatro munições, 143 doses de diversos tipos de estupefaciente (liamba, haxixe, ecstasy e anfetaminas), 605 euros, duas garrafas de óxido nitroso e vários artigos pirotécnicos.

Os detidos vão se presentes hoje no Tribunal Judicial da Comarca de Lisboa – Núcleo do Seixal, para primeiro interrogatório judicial e aplicação de medidas de coação.

“A PSP apela a todos os cidadãos para não aderirem a este tipo de eventos, porquanto o risco de propagação de covid-19 é ainda muito elevado, motivo pelo qual estas atividade se encontram ainda suspensas”, é acrescentado.

/ CP