Portugal Continental administrou em média 75,4 mil vacinas contra a covid-19 na última semana, tendo atingido o pico na quarta e sexta-feira, dias em que foram registadas cerca de 99 mil inoculações.

A média demonstra, no entanto, um abrandamento face à semana anterior, em que o Continente chegou às 76 mil vacinas administradas em média diariamente.

Representando um decréscimo de cerca de 0,92%, foi administrado um total de 528 mil vacinas no período contabilizado - de 31 de maio a 6 de junho -, menos cinco mil do que na última semana analisada.

Do total de vacinas administradas nos últimos sete dias, mais de metade (58.7%) foram utilizadas para completar o esquema vacinal contra a covid-19. No tempo em análise, foi registada uma média de cerca de 44 mil novas pessoas plenamente inoculadas contra a covid-19, com a maior subida a ser contabilizada no dia 5 de junho (mais 61 mil).

De acordo com o Ministério da Saúde, neste momento, 40% da população portuguesa recebeu, pelo menos, uma dose da vacina e mais de 22% está totalmente vacinada.

No Continente, o número de pessoas que completaram o processo de vacinação representa 22,48% da população. (O valor é obtido após a subtração do número conhecido de habitantes nas Regiões Autónomas).

A percentagem das pessoas com mais de 60 anos que já recebeu uma dose da vacina é de quase 95% e a das pessoas com idade superior a 50 anos é de 81%.

Portugal Continental atingiu este domingo o marco das seis milhões de vacinas administradas e fonte do Ministério da Saúde acredita que “o país está cada vez mais perto de alcançar a meta definida de ter 70% da população vacinada com pelo menos uma dose até ao mês de Agosto”.

 

 

Até ao dia 30 de maio e de acordo com dados da Centro Europeu para o Controlo e Prevenção de Doenças, Portugal tinha recebido 6,254 milhões de vacinas - 72.9 doses por cem mil habitantes -, numa lista de países europeus encabeçada pela Alemanha, seguida da França e Itália.

Malta, com uma população de cerca de 500 mil pessoas, segue na frente dos países com uma maior taxa de plenamente vacinados. A Hungria (com 9,773 milhões de habitantes) atinge a segunda posição da tabela, tendo vacinado cerca de 45% da população.