Um terço das chamadas recebidas pelo centro de contacto do SNS em 2017 foi encaminhado para um serviço de urgência, segundo dados dos Serviços Partilhados do Ministério da Saúde (SPMS), responsável pelo serviço.

No ano passado, esta linha recebeu 69.415 chamadas para aconselhamento em situação de doença, sendo os principais motivos dos contactos a tosse, náuseas e vómitos, dor abdominal e dor da orofaringe (dor de garganta).

De acordo com os SPMS, dos doentes avaliados através dos algoritmos usados pelos enfermeiros do SNS 24, a 36% foram aconselhadas medidas a ser aplicadas no domicílio e vigilância dos sintomas (autocuidados).

Em 34% dos casos houve um encaminhamento para um serviço de urgência e em 24% para os cuidados de saúde primários.

A mesma fonte adiantou que 4% dos doentes foram encaminhadas para o INEM e que os restantes 2% das chamadas foram transferidos para outras linhas, como o Centro de Informações Antiveneno.

/ SS