A Polícia Judiciária deteve um homem e uma mulher suspeitos de terem causado prejuízos de 95 mil euros à Instituição Particular de Solidariedade Social (IPSS) que dirigiam, no Algarve, da qual desviavam dinheiro, foi anunciado esta quinta-feira.

Em comunicado, a PJ adianta que, entre 2012 e 2016, no exercício de cargos dirigentes de uma IPSS na zona de Pêra, no concelho de Silves, os suspeitos "compraram bens para si em nome da instituição, desviaram dinheiro desta para contas pessoais e usaram em exclusividade bens da referida IPSS".

Com esta prática, os arguidos, que são suspeitos dos crimes de abuso de confiança qualificado, infidelidade, burla qualificada, falsificação de documentos e falsidade informática, terão causado à instituição um prejuízo que ascende a 95.000 euros, acrescenta a Judiciária.

O homem e a mulher, de 49 e 50 anos, foram identificados e detidos na terça-feira por inspetores do Departamento de Investigação Criminal (DIC) da PJ de Portimão.

Após terem sido presentes a primeiro interrogatório judicial, saíram em liberdade, mas estão obrigados a apresentações quinzenais nas autoridades e proibídos de contacto entre si e com outros intervenientes no processo.