Os inspetores do SEF são dos primeiros agentes da autoridade a ter contacto com quem chega de fora do país.

Em reunião com o Ministro da Administração Interna, a falta de pessoal foi uma das grandes queixas dos inspetores do Serviço de Estrangeiros e Fronteiras.

O Sindicato da Carreira de Investigação e Fiscalização do Serviço de Estrangeiros e Fronteiras recebeu, esta sexta-feira, a promessa do Ministério da Administração Interna de que no primeiro semestre de 2020 haverá resultados sobre a lei orgânica e estatuto profissional.

No final da reunião no Ministério da Administração Interna (MAI), em Lisboa, o presidente do Sindicato da Carreira e Fiscalização do SEF, Acácio Pereira, congratulou-se com a "posição de diálogo" do Governo para negociar e chegar a resultados no primeiro semestre de 2020 quanto a matérias específicas e da maior importância para aqueles profissionais, como é o caso da lei orgânica e do estatuto, que têm quase 20 anos.

Segundo Acácio Pereira, para o início de 2020 está prevista uma nova reunião entre os dirigentes do sindicato e os responsáveis do MAI, sendo que a questão da admissão de pessoal, promoção e progressão na carreira são matérias que terão que voltar a ser discutidas, numa altura em que o SEF se debate com um "grande défice" de efetivos.

No decorrer da reunião com o MAI, dirigida pelo ministro Eduardo Cabrita, foi ainda apresentada a programação das infraestruturas para as forças e serviços de segurança, bem como a lei quadro do pessoal, de acordo com Acácio Pereira.

O encontro de hoje inseriu-se no âmbito do novo ciclo de diálogo com os sindicatos e as associações profissionais das forças e serviços de segurança.