O Procurador-Geral da República admitiu esta quinta-feira que «podem haver novidades» no caso Freeport, porque estão a «decorrer novas inquirições». De acordo com a Agência Lusa, Pinto Monteiro remeteu para sexta-feira qualquer nova declaração sobre o processo.

Entretanto, o empresário Charles Smith está a ser ouvido em Lisboa por dois procuradores no âmbito das investigações ao «caso Feeport», confirmou aos jornalistas a directora do Departamento Central de Investigação e Acção Penal (DCIAP), Cândida Almeida.

Segundo a procuradora-geral-adjunta, a audição para qual foi convocado o cidadão escocês radicado em Portugal está a decorrer no DCIAP, a pedido do próprio empresário, e está a ser realizada pelos procuradores Vítor Magalhães e Pais Faria.

Pinto Monteiro, quando questionado sobre a existência de arguidos no caso, afirmou que «não posso responder, porque hoje estão marcadas mais inquirições. Hoje é mais um dia e podem haver mais novidades». Pinto Monteiro explicou ainda que «sempre que há ilícitos tem que haver suspeitos».

O Procurador-Geral da República reforçou que o Ministério Público tem que respeitar o segredo de Justiça, «o que é muito difícil em Portugal». Razão pelo qual, refere o PGR, está a «decorrer um processo de investigação para saber quem são os responsáveis pelas constantes fugas de informação».
Redação