O Serviço de Informações de Segurança (SIS) negou, este sábado, qualquer vigilância dos magistrados encarregues do processo Freeport, garantindo serem «falsas e fantasiosas» as notícias que referem que o SIS estaria a investigar eventuais fugas de informação, noticia a Lusa.

«Provas destruídas na véspera das buscas»

Em comunicado enviado esta tarde, o director-geral do SIS, Antero Luís, garante serem «completamente falsas e fantasiosas» as notícias sobre «o suposto envolvimento do Serviço de Informações de Segurança nas averiguações de eventuais fugas de informação em violação do segredo de justiça e no suposto seguimento ou vigilância de magistrados».

«Não está no âmbito das competências do Serviço de Informações de Segurança a interferência, a qualquer título, em processos judiciais», conclui Antero Luis.
Redação