Os trabalhadores da Transtejo apresentaram esta terça-feira um pré-aviso de greve parcial de três horas por turno para os dias 21, 22 e 23 de setembro, por falta de entendimento com a administração quanto à atualização salarial.

À semelhança dos trabalhadores da Soflusa, que na segunda-feira avançaram com igual pré-aviso de greve, os trabalhadores da Transtejo, reunidos esta tarde em plenário na estação fluvial de Cacilhas, mandataram o sindicato para apresentar o pré-aviso de greve em três dias de setembro.

Tanto os trabalhadores da Transtejo como os da Soflusa (duas empresas que têm administração comum) estiveram em junho e julho em greve parcial, depois de uma primeira paralisação em 20 de maio.

Em declarações à Lusa, Paulo Lopes, da Federação dos Sindicatos de Transportes e Comunicações (FECTRANS) explicou que os motivos dos trabalhadores “ainda se mantêm”, pelo que o caminho decidido foi encetar uma nova greve parcial.

Hoje voltamos a ter a mesma resposta dos trabalhadores, como os da Soflusa ontem [segunda-feira], os da Transtejo aprovaram igual proposta de nos mandatarem para apresentar o pré-aviso de greve”, disse Paulo Lopes.

O sindicalista adiantou ainda que na quarta-feira o sindicato irá reunir-se no Ministério do Ambiente, que tutela os transportes, mostrando-se expectante quanto ao resultado.

Decorreram conversações, mas não se sabe o que nos irá ser dito amanhã [quarta-feira], vamos ver”, acrescentou.

A Transtejo assegura as ligações fluviais entre o Seixal, Montijo, Cacilhas e Trafaria/Porto Brandão, no distrito de Setúbal, e Lisboa, enquanto a Soflusa é responsável por ligar o Barreiro à capital.

/ NM