Este fim de semana entrou em vigor a hora de verão. Para explicar as razões por trás desta mudança, o Esta Manhã recebeu o Dr. Miguel Meira e Cruz, especialista europeu em medicina do sono.

Lembrando que "os pressupostos de mudança da hora remontam lá atrás", numa altura em que, com menos dinheiro, na Segunda Guerra Mundial, houve necessidade de criar mais uma hora de luz solar.

Para o especialista, esta é uma razão que já não está válida hoje em dia.

Sobre as consequências na saúde, Miguel Meira e Cruz refere que é sabido que a mudança da hora traz mais riscos associados ao aumento das taxas de cancro, de diabetes ou doenças cardiovasculares.

Temos relógios biológicos em todas as células. Todos os mamíferos têm um dador de tempo que sincroniza o tempo com o ambiente", explicou.

Na possibilidade de deixar de mudar a hora, o especialista refere que o aconselhado é manter sempre a hora de inverno, aquela que parece "facilitar mais o horário".

É de esperar que durante a próxima semana haja mais enfartes do miocárdio, mais eventos cardiovasculares e metabólicos", frisou.

António Guimarães