A PSP de Lisboa confirmou hoje uma agressão a um homem alegadamente pertencente à Juventude Leonina, que foi transportado ao hospital, por parte de um grupo de mais de 30 indivíduos com camisolas dos ‘No Name Boys’.

O Comando Metropolitano de Lisboa da PSP, através da Divisão Policial de Cascais, teve a informação de um caso de agressão a um homem de 32 anos, “alegadamente pertencente ao grupo organizado de adeptos conhecidos por Juve Leo”, que ocorreu na tarde de terça-feira, em São João do Estoril.

“Segundo foi possível apurar, o homem foi agredido por um grupo de cerca de 30 a 40 indivíduos, os quais tinham o rosto tapado com camisolas de cor preta, com as letras vermelhas alusivas à claque de futebol ‘No Name Boys’”, refere a PSP em comunicado.

A Juventude Leonina é um grupo organizado de adeptos ligado ao Sporting, enquanto os ‘No Name Boys’ estão ligados ao Benfica.

Segundo as autoridades, o homem, que se encontrava sozinho, estava a ser agredido quando um agente da PSP, em patrulhamento de prevenção criminal no local, se apercebeu da situação e interveio.

“Os suspeitos cessaram as agressões e se colocaram em fuga em várias direções, não tendo sido possível intercetar nenhum deles”, salienta a nota.

Apesar da intervenção do agente policial, a vítima sofreu várias lesões, sendo por isso transportado para uma unidade hospitalar, com a PSP a referir que foram evitadas “consequências mais graves”.

“De referir que apesar dos suspeitos estarem de rosto tapado, a vítima reconhece-os em virtude de existir uma rivalidade antiga entre os mesmos”, conclui.

O Sporting pediu na terça-feira ação às autoridades para combaterem a violência no desporto, depois de um adepto 'leonino' ter sido agredido.

"A violência não pode fazer parte do Desporto e da Sociedade portuguesa do século XXI. O Sporting Clube de Portugal solicita, por isso, às autoridades competentes ação e consequência sobre estes atos. E apela a que todos os clubes, agentes desportivos e adeptos venham a terreiro, sem receios, travar, de frente, esta luta contra a violência no desporto", lê-se num comunicado dos 'leões'.

/ AM