Os subsídios de doença aumentaram 64,6% em fevereiro face a janeiro, para 304.371, depois de a linha de atendimento SNS24 ter começado a passar declarações provisórias de isolamento profilático devido à covid-19, segundo a Segurança Social.

Em fevereiro de 2021 foram processados 304.371 subsídios de doença, verificando-se um acréscimo mensal de 64,6% (mais 119.405 subsídios), que fica a dever-se ao facto do SNS24 ter começado também a passar declarações provisórias de isolamento, a partir de novembro”, segundo o Gabinete de Estratégia e Planeamento (GEP) do Ministério do Trabalho, Solidariedade e Segurança Social.

A Linha SNS24 passou em novembro a emitir declarações provisórias de isolamento profilático para justificação de faltas ao trabalho e obrigação de permanência no domicílio devido a suspeitas de contágio pela covid-19.

Na síntese estatística mensal publicada na segunda-feira, o GEP explica que os números “englobam as baixas por contágio pelo novo coronavírus e o subsídio por isolamento profilático agrupados com o subsídio por tuberculose”.

De acordo com as estatísticas disponibilizadas pela Segurança Social, mais de metade (55,8%) do total das baixas por doença em fevereiro foram processadas a mulheres, tendo sido verificado um aumento de 60,6% face a janeiro neste género.

Nos homens o aumento mensal foi de 69,8% (mais 55.312 beneficiários).

Em relação ao período homólogo, em fevereiro houve um acréscimo global nas baixas por doença de 67,1% (mais 122.247 pessoas), correspondendo a subidas de 54,7% no sexo feminino (mais 60.007 subsídios) e de 86% no masculino (mais 62.240 subsídios), indicam as estatísticas.

No grupo "Outras Doenças" verificou-se uma variação mensal de 35,9%, registando-se em fevereiro mais 38.463 beneficiários, o que resulta num total de 145.482 subsídios.

Quanto ao grupo "Tuberculose, Isolamento Profilático e Doença Covid", o aumento foi de 109,3% em relação a janeiro (mais 90.075 pessoas), resultando num total de 172.466 beneficiários.

Os dados da Segurança Social mostram ainda que em fevereiro foram processadas 2.062.986 pensões de velhice, menos 4.775 pensões (uma queda de 0,2%) do que em janeiro e um aumento homólogo de 0,6%, sendo atribuídas mais 12.894 pensões de velhice do que há um ano.

As mulheres receberam 52,8% do total de pensões.

As pensões de sobrevivência caíram em fevereiro face ao mês anterior em 0,1%, mas aumentaram em termos homólogos em 0,4%, totalizando 717.302 processamentos.

As mulheres são beneficiárias da maioria das pensões de sobrevivência, com 81,4% do total.

Em fevereiro foram ainda processadas 179.945 pensões de invalidez, um aumento mensal de 0,3% e um recuou de 4,9% na comparação com o período homólogo.

/ AG