Os jovens com acne severo têm mais pensamentos suicidas do que outros adolescentes com problemas. O estudo sobre o impacto da acne foi realizado com 3775 jovens norueguesas, entre os 18 e 19 anos. Destes, 14 por cento consideraram que isso representou um grave problema.

O psicólogo João Balrôa, ouvido pelo «DN» explica o por quê. «O rosto é fundamental na comunicação humana e é importante sentir que o outro gosta da nossa presença».

A pesquisa publicada no «Jornal de Investigação Dermatológica» refere apenas que o acne duplica as ideias suicidas e não as tentativas efectivas de pôr termo à vida. No entanto, «está provado é que o acne é um dos problemas que pode aumentar a percentagem de suicídio, mas não é causa única», diz o presidente da Sociedade Portuguesa de Dermatologia e Venereologia, Manuel Marques Gomes, em declarações ao «DN».

Os últimos dados sobre o suicídio de jovens em Portugal datam de 2005. 24 jovens, com idades entre os 14 e os 24 suicidaram-se nesse ano, segundo o Núcleo de Estudos do Suicídio do Hospital de Santa Maria.
Redação / CF