Dezasseis estudantes do Instituto Politécnico da Guarda (IPG) e uma bebé de dois meses, filha de uma aluna, testaram positivo para a Covid-19, disse a Coordenadora da Unidade de Saúde Pública da Guarda, esta segunda-feira

Segundo Isabel Viseu, neste momento, estão confirmados 16 alunos infetados com covid-19, encontrando-se "um no domicílio e 15 internados".

Sendo que ainda há uma bebé de dois meses, filha de uma estudante, que também deu positivo [no teste ao coronavírus] e está internada", acrescentou a Coordenadora da Unidade de Saúde Pública da Unidade Local de Saúde (ULS) da Guarda.

A responsável referiu que, pelas informações recolhidas, o surto de Covid-19 em alunos do IPG ocorreu após a realização "de um jantar de aniversário, no domicílio de um aluno".

Isabel Viseu adiantou ainda que a situação está em fase de investigação pelas autoridades de saúde e que, ainda hoje, serão realizados "vários testes" a alunos que estiveram em contacto com os infetados.

No domingo, o IPG anunciou que decidiu suspender os exames presenciais nas suas instalações, transferindo-os para as plataformas digitais, após ter conhecimento da existência de estudantes infetados com Covid-19.

A decisão deve-se às informações transmitidas, no sábado à noite, pela ULS da Guarda, de que há estudantes do IPG que testaram positivo à Covid-19", referiu o IPG, em comunicado enviado à agência Lusa.

Segundo a nota, os estudantes foram infetados fora das instalações.

"Apesar de não termos nenhuma evidência de qualquer contágio ocorrido dentro das instalações do IPG, o súbito aparecimento de estudantes que testaram positivo obriga-nos a mudar os planos feitos de acordo com as diretivas do Ministério do Ensino Superior, suspendendo os exames presenciais e passando-os a 'online'", afirma na nota o presidente do IPG, Joaquim Brigas.

Segundo a Coordenadora da Unidade de Saúde Pública da Guarda, Isabel Viseu, à data de hoje estão contabilizados 28 casos de pessoas infetadas por covid-19 na área da ULS, que abrange 13 concelhos do distrito da Guarda (exceto o de Aguiar da Beira, que pertence ao Agrupamento de Centros de Saúde do Dão - Lafões) e gere os hospitais da Guarda (Sousa Martins) e de Seia (Nossa Senhora da Assunção), e também 12 centros de saúde e duas unidades de saúde familiar (A Ribeirinha, na cidade da Guarda e a "Mimar Mêda", na cidade de Mêda), abrangendo cerca de 142 mil habitantes.

Câmara atenta a casos de infeção de alunos

A Câmara Municipal da Guarda está a acompanhar a situação de estudantes do Instituto Politécnico local infetados com a covid-19 e disponibiliza instalações para os acolher após terem alta hospitalar, disse o presidente do município.

Carlos Chaves Monteiro participou durante a tarde numa reunião com a presidente do Conselho de Administração da Unidade Local de Saúde (ULS) e com o presidente do Instituto Politécnico da Guarda (IPG) para decidir "um conjunto de medidas que, neste momento, são prementes de ser tomadas".

"Designadamente, ter a noção dos locais onde [os estudantes infetados] vivem para, uma vez que já estão em tratamento, e não apresentam cuidados de maior, estabelecer algum confinamento e medidas de quarentena para que continuem a ter uma vida condigna", referiu.

Carlos Chaves Monteiro adiantou que já foi estabelecido um espaço - uma ala "mais isolada e de acesso autónomo" da Pousada da Juventude - onde os estudantes poderão residir temporariamente após terem alta hospitalar.

"Não podemos ainda falar numa situação de surto, é uma situação que preocupa, mas as instituições e o município" estão "atentos" e a identificar possíveis contactos, disse.

/ SS/AM - notícia atualizada às 20:02