A maioria dos casos ativos de covid-19 em Aljezur, o concelho do Algarve com maior incidência de casos por 100 mil habitantes, está relacionada com o setor agrícola, disse esta segunda-feira à Lusa o presidente da autarquia.

Dos 32 casos confirmados, há dois que não estão relacionados com a agricultura, o resto tem essa ligação”, afirmou à Lusa José Gonçalves, adiantando que os casos estão controlados e que estão atualmente “cerca de 90 pessoas” em confinamento.

À margem da inauguração do centro de vacinação de Portimão, o presidente daquele município do distrito de Faro afirmou que as autoridades sabem “onde estão” os casos, frisando que o surto “não está disseminado na comunidade”.

O autarca adiantou que para hoje à tarde está prevista uma “reunião alargada da comissão da Proteção Civil”, que contará com a presença do secretário de Estado e coordenador regional no combate à covid-19 Jorge Botelho.

Vamos ver o que temos que fazer e definir a estratégia, porque é preciso olhar para aquela realidade, que é muito específica”, realçou, notando que muitos dos trabalhadores infetados trabalham no concelho vizinho de Odemira, no Alentejo, mas residem em Aljezur.

José Gonçalves manifestou-se preocupado com a próxima avaliação das autoridades de saúde, que poderá levar a “outro tipo de medidas” de controlo da pandemia no concelho, atualmente na terceira fase de desconfinamento, e que irão “agravar a situação da economia local”.

No boletim divulgado na última sexta-feira o concelho de Aljezur registava 501 casos por 100 mil habitantes em 14 dias, referente ao período entre 7 e 20 de abril.

Em 11 de março, na apresentação do plano de desconfinamento, o primeiro-ministro, António Costa, avisou que as medidas da reabertura serão revistas sempre que Portugal ultrapasse os “120 novos casos por dia por 100 mil habitantes a 14 dias” ou sempre que o Rt - o número médio de casos secundários que resultam de um caso infetado pelo vírus - ultrapasse 1.

. / CE