Um homem suspeito de ter provocado um incêndio numa casa devoluta ocupada, em Faro, a 6 de maio, foi detido pelas autoridades, anunciou hoje a Polícia Judiciária (PJ).

O suspeito foi detido pela Diretoria do Sul da PJ e os investigadores acreditam que o homem ateou “intencionalmente” o incêndio “numa residência devoluta em pleno centro da cidade de Faro”, que era “ocupada por indigentes”, precisou a PJ num comunicado.

A detenção teve lugar por existirem fortes indícios de, na noite do passado dia 06 de maio, cerca das 20:00, ter ateado, por ignição direta, um incêndio numa habitação que estava a ser ocupada por indigentes”, contextualizou a polícia.

A mesma fonte considerou que a “pronta intervenção dos bombeiros” foi o que “impediu as chamas de se propagarem para as habitações contíguas”, mas sublinhou que o fogo pôs “em perigo os bens patrimoniais e a vida dos outros residentes”.

A PJ apontou ainda como motivação para o crime um desentendimento sobre a ocupação de um quarto.

Subjacente a este ato está uma altercação com um dos moradores pela disputa do mesmo quarto”, alegou a Polícia Judiciária, salientando que a detenção do suspeito foi realizada no âmbito de uma investigação conduzida pelo Ministério Público do Departamento de Investigação e Ação Penal (DIAP) de Faro.

A PJ revelou também que o detido, com 37 anos, desempregado e com antecedentes policiais pelo crime de ofensas à integridade física, vai ser hoje presente em tribunal para primeiro interrogatório judicial e, no final, ficará a conhecer as eventuais medidas de coação aplicadas pelo juiz de instrução.