A única corporação de bombeiros de Freixo de Espada à Cinta está desde as 19:00 de segunda-feira sem qualquer tipo de comunicação, uma situação que se estende a todo o concelho, disse, esta terça-feira, à Lusa o comandante da corporação.

«Nem telefone fixo, nem via rádio, nem Internet nem através do SIRESP (sistema integrado das redes de emergência e segurança de Portugal). O único meio de comunicação disponível é o telemóvel de um bombeiro que tem como suporte a rede Vodafone», afirmou o comandante Sá Lopes.

O responsável queixou-se da dificuldade de acesso à PT para obter esclarecimentos sobre a situação.

«Tentamos as vias normais, mas não conseguimos. O contacto só foi possível porque o Centro Distrital de Operações de Socorro (CDOS) nos arranjou um número directo. A indicação que nos deram é que as comunicações só deverão ser repostas ao final da tarde», acrescentou.

Sá Lopes considera que esta situação, alegadamente provocada por incêndios na região, é «muito grave».

«Hoje já tivemos uma emergência em Laguaça e não conseguimos socorrer. O CDOS teve de accionar os bombeiros do concelho vizinho de Mogadouro porque não conseguiu entrar em contacto connosco», lamentou.

A Lusa confirmou que, além dos bombeiros, os CTT, a Câmara Municipal e o Centro de Saúde de Freixo de Espada à Cinta estão também incontactáveis.