O Instituto Português do Mar e da Atmosfera prevê para hoje no continente céu em geral pouco nublado, apresentando-se muito nublado no litoral da região Centro até meio da manhã e com períodos de muita nebulosidade a partir do meio da manhã. 

Há condições favoráveis à ocorrência de aguaceiros, que poderão ser por vezes fortes, de granizo e acompanhados de trovoada, em especial durante a tarde e nas regiões do interior, segundo as previsões, que apontam para uma pequena descida da temperatura máxima.

A chuva, que deve aparecer já este domingo, veio para ficar. Segundo as previsões do IPMA para os próximos dez dias, a previsão é de chuva, ainda que pontual, durante vários dias, estando previsto que os dias com mais precipitação serão quarta e quinta-feira. A norte é provável que a chuva se prolongue por mais dias. As temperaturas vão continuar amenas, na casa dos 20º graus. 

Hoje, o vento estará fraco, soprando temporariamente moderado (até 25 km/h) de noroeste no litoral oeste a sul do Cabo Mondego, durante a tarde, e do quadrante leste nas terras altas até meio da manhã.

Para o arquipélago dos Açores, são esperados períodos de céu muito nublado com abertas, com possibilidade de chuvisco ou aguaceiros fracos.

Na Madeira, o céu apresentar-se-á geralmente muito nublado, com abertas nas vertentes sul da ilha da Madeira, com possibilidade de ocorrência de aguaceiros fracos nas vertentes norte e terras altas até ao meio da manhã.

As temperaturas máximas previstas são de 26 graus celsius para Lisboa, 25 para Faro e Bragança, 21 no Porto, 22 em Ponta Delgada e 20 no Funchal.

Apesar da chuva, há risco de incêndio

Os concelhos de Bragança, no distrito de Bragança, e Castro Marim, no distrito de Faro, estão hoje em risco elevado de incêndio, segundo o Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA).

Os restantes distritos do país apresentam risco reduzido e moderado de incêndio, de acordo com a informação disponível no 'site' do IPMA.

O risco de incêndio determinado pelo IPMA engloba cinco níveis, que podem variar entre "reduzido" e "máximo", sendo o cálculo feito com base nos valores observados às 13 horas em cada dia relativamente à temperatura do ar, humidade relativa, velocidade do vento e quantidade de precipitação nas últimas 24 horas.

Cuidado com o sol

Quase todo o país apresenta hoje risco 'muito elevado' e ‘elevado’ de exposição à radiação Ultravioleta (UV), segundo o Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA).

Em risco ‘muito elevado’ de exposição à radiação UV estão os concelhos de Braga, Porto, Vila Real, Bragança, Guarda, Coimbra, Santarém, Setúbal e o arquipélago da Madeira, adianta a informação publicada no ‘site’ do IPMA.

À exceção de Portalegre e de Beja, que estão com risco ‘moderado’, os restantes distritos do país apresentam risco ‘elevado’ de exposição aos raios ultravioletas.

Para as regiões com risco 'muito elevado' e ‘elevado’, o IPMA recomenda o uso de óculos de sol com filtro UV, chapéu, ‘t-shirt’, guarda-sol e protetor solar, além de desaconselhar a exposição das crianças ao sol.

Os índices UV variam entre 1 e 2, em que o risco de exposição à radiação UV é 'Baixo', 3 a 5 ('Moderado'), 6 a 7 ('Elevado'), 8 a 10 ('Muito Elevado') e superior a 11 ('Extremo').