As temperaturas máximas vão oscilar entre os 29º, em Beja, Santarém e arquipélago da Madeira, e os 21º, na Guarda e em Viseu, ao passo que as mínimas vão variar entre os 12º na Guarda, e 24º, no Funchal.

Para o dia de hoje o Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA) prevê chuva fraca até ao final da manhã e uma pequena descida de temperatura, em especial da máxima.

Alcoutim, Castro Marim, Tavira e São Brás de Alportel, no distrito de Faro, são os quatro concelhos do país onde o risco de incêndio é hoje "muito elevado", segundo o IPMA.

Em risco elevado de incêndio, encontram-se os concelhos de Loulé (Faro), Almodôvar e Mértola (Beja) e Figueira de Castelo Rodrigo (Guarda).

Todo o restante país está em risco moderado e, principalmente, reduzido, de ter um incêndio.

São cinco os níveis de risco de incêndio determinado pelo IPMA, que vão de reduzido a máximo, sendo o elevado o terceiro nível mais grave.

Os cálculos para este risco são obtidos a partir da temperatura do ar, humidade relativa, velocidade do vento e quantidade de precipitação nas últimas 24 horas.

Quase todo o país em risco "muito elevado" de exposição aos raios UV

Treze distritos do país e as regiões autónomas da Madeira e dos Açores estão esta sexta-feira em risco muito elevado de exposição à radiação ultravioleta (UV), avisa o IPMA. 

As zonas do país que apresentam maior risco de exposição à radiação UV são o distrito da Guarda e a ilha do Porto Santo, classificados com nível 10 de risco, o segundo mais gravoso numa escala que vai de 1 a 11, sendo este último considerado "risco extremo".

Igualmente com risco muito elevado de exposição à radiação, embora oscilando entre os níveis 8 e 9, estão os distritos de Faro, Setúbal, Lisboa, Santarém, Portalegre, Leiria, Castelo Branco, Coimbra, Aveiro, Viseu, Bragança, Vila Real, Funchal, e as ilhas das Flores, Faial e Terceira, nos Açores.

No resto do país, o risco de exposição aos UV anda entre o elevado (Viana do Castelo, Braga, e ilha de São Miguel) e o moderado (Évora e Beja).

O índice ultravioleta varia entre 1 e 2, em que o risco de exposição à radiação UV é baixo, 3 a 5 (moderado), 6 a 7 (elevado), 8 a 10 (muito elevado) e superior a 11 (extremo).

Para as regiões com risco muito elevado e elevado, o IPMA recomenda a utilização de óculos de sol com filtro UV, chapéu, ‘t-shirt’, guarda-sol, protetor solar e evitar a exposição das crianças ao Sol.

O cálculo é feito com base nos valores observados às 13:00 em cada dia relativamente à temperatura do ar, humidade relativa, velocidade do vento e quantidade de precipitação nas últimas 24 horas.

/ ALM com Lusa