Com mais de seis metros de altura, está localizado no coração do Little Portugal de Toronto, o mural de Amália Rodrigues é motivo de orgulho para a comunidade “mostrando Portugal ao Canadá”.

É um projeto do empresário de Montreal Herman Alves, que começou no último verão, com o objetivo de criar uma aldeia global virtual colocando 25 murais em pontos centrais da diáspora portuguesa no mundo.

Neste momento já temos quatro murais, em Porto de Mós (Portugal), Montreal (Quebeque), em Toronto e em Mississauga (Ontário). Toronto foi uma das cidades que identificamos no princípio deste projeto onde há uma grande e vibrante comunidade portuguesa”, afirmou o empresário de 63 anos, radicado no Canadá há 50 anos.

Os murais em Toronto e em Mississauga foram inaugurados esta sexta-feira, com uma cerimónia simbólica, contando com a presença de políticos locais e membros da comunidade portuguesa, com as respetivas medidas de precaução devido à pandemia.

Father and son happy like angels in heaven @ TO and Mississauga on a journey to please the greatest Goddess of all; Amalia Rodrigues

Publicado por Herman Alves em  Sexta-feira, 30 de outubro de 2020

Este ano assinala-se o centenário do nascimento da diva do fado e o objetivo desta iniciativa é de “celebrar Amália, um centenário que não podia passar despercebido, numa data que só se celebra uma vez na vida”.

Para a presidente da Associação Comercial do Little Portugal na Dundas, Anabela Taborda, parceira na iniciativa em Toronto, aquele monumento não só celebra os 100 anos de Amália mas também coloca aquela área e a comunidade portuguesa de Toronto no “mapa internacional de murais da fadista”.

A vice-presidente da Câmara Municipal de Toronto, Ana Bailão, realçou a importância para a comunidade em manter a história “naquela que já foi o núcleo da comunidade”.

A comunidade expandiu-se nos últimos anos, já está presente em outras partes da cidade e noutras cidades, mas este continuará sempre a ser o núcleo, porque foram aqui que ocorreram as décadas de expansão da comunidade portuguesa na cidade de Toronto”, afirmou.

O proprietário do edifício onde está localizado o mural, Frank Alvarez, sublinhou que aquela obra “torna imortal Amália, uma pessoa muito querida na comunidade portuguesa no Canadá, muito particularmente em Toronto".

Por sua vez o cônsul-geral de Portugal em Toronto, José Carneiro Mendes, destacou a importância desta iniciativa: “mostra que nós também temos valores que se podem afirmar e dar às nossas sociedades de acolhimento”, disse.

Sendo o fado Património Imaterial da Humanidade desde 2011 demonstra que, apesar de termos uma canção que reflete o nosso sentimento, o que é muito nosso, também conseguimos sair de dentro de nós, e oferecermos aos outros aquilo que temos de mais profundo, que é o fado”, frisou o diplomata.

Além dos quatro murais já inaugurados desde 29 de junho, espera-se que até ao final do ano, a cidade da Praia (cabo Verde) e Paris (França) possam vir a ter os seus monumentos.

No Ontário, os mais recentes murais, da autoria do artista plástico Matthew Cadoch, estão localizados no número 1087 da Dundas Street West (Toronto) e no 53 da Queen Street Norte (em Mississauga).

Foi também divulgado na sexta-feira o tema oficial do evento ‘Amália Everywhere’, música interpretada pela cantora luso-canadiana Marta Raposo.

A diva do fado, Amália Rodrigues, tem uma ligação especial com a comunidade portuguesa no Canadá: o município de Toronto, em 1986, proclamou o 06 de outubro como o Dia de Amália, naquela cidade, curiosamente o mesmo dia em que a fadista viria a falecer, em 1999. 

/ LF