«Os Lusíadas» já podem ser lidos em língua mirandesa. O investigador Amadeu Ferreira acaba de traduzir o épico de Luís de Camões, após oito anos de trabalho.

Amadeu Ferreira revelou à Lusa que a obra será apresentada a 17 de Setembro numa cerimónia promovida pela Câmara de Miranda do Douro, inserida nas comemorações do Dia da Língua Mirandesa, onze anos após o reconhecimento como língua oficial em Diário da República.

O especialista em mirandês afirmou que «os poemas cantados por Camões foram uma epopeia dos portugueses e, entre os portugueses, havia gente que possivelmente falava mirandês».

Amadeu Ferreira avançou que «todas a estâncias do poema foram vistas e revistas ao pormenor» e que «só nos últimos três anos é que a tradução ficou concluída».

O investigador comentou as dificuldades na tradução: «Nas estâncias tentei manter a rima, a métrica, a acentuação tanto na sexta como na décima sílaba, toda o ritmo e musicalidade do poema se aproxima do original».

A edição em mirandês de «Os Lusíadas» terá a chancela da Editora Âncora e Amadeu Ferreira assina com o pseudónimo de Francisco Niebro. A tradução tem o prefácio de Ernesto Rodrigues, professor na Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa.

Amadeu Ferreira, que é vice-presidente da Comissão de Mercado de Valores Mobiliários (CMVM), é um dos maiores especialistas em língua mirandesa e publicou centenas de crónicas em mirandês no Público e Jornal Nordeste.
Redação / AR