Os nove cidadãos estrangeiros que foram detidos na quinta-feira no Algarve, numa operação de combate ao tráfico internacional de droga, ficaram em prisão preventiva, a medida mais gravosa, após interrogatório, confirmou fonte judicial à Lusa.

Os detidos tiveram conhecimento da medida de coação depois de serem ouvidos no Tribunal Central de Instrução Criminal, em Lisboa.

Na operação de quinta-feira foram apreendidas mais de 6,5 toneladas de haxixe, anunciou a Polícia Judiciária (PJ).

Segundo a nota divulgada pela Diretoria do Sul, que desenvolveu a operação no âmbito de um inquérito tutelado pelo Departamento Central de Investigação e Ação Penal, os detidos são de “diversas nacionalidades”, não especificadas, e têm entre 35 e 55 anos.

Sobre eles “recaem fortes suspeitas da prática do crime de tráfico ilícito de estupefacientes”.

As características do grupo, a multinacionalidade da sua composição, a grande capacidade de movimentação e a capacidade organizativa indiciam tratar-se de atividade criminosa organizada e de âmbito transnacional”, sublinhou a PJ.

A intervenção decorreu nas zonas de Faro, Loulé e Albufeira, no distrito de Faro, com a colaboração da GNR.

Além de haxixe, foram apreendidos na “Operação Azimute” cinco viaturas usadas no transporte da droga, bem como “outros objetos relacionados com o crime”.

/ CM