O Tribunal de Torres Vedras determinou esta sexta-feira prisão preventiva para oito dos 13 detidos esta semana por suspeitas de tráfico de droga naquele concelho e em Sintra, disse fonte da GNR.

Após primeiro interrogatório judicial, dos 13 suspeitos, sem antecedentes criminais, o tribunal aplicou a oito a medida de coação mais gravosa, a prisão preventiva.

Os restantes cinco detidos ficaram sujeitos a apresentações semanais às forças policiais e ficaram proibidos de frequentar locais e contactar pessoas relacionadas com o consumo e tráfico de estupefacientes.

Na quarta-feira, a GNR anunciou a detenção de 13 homens, entre os 21 e os 22 anos, nos concelhos de Torres Vedras e Sintra, distrito de Lisboa, por suspeitas de tráfico de droga.

De acordo com a GNR, os arguidos colaboravam uns com os outros no crime de tráfico de droga, tratando-se por isso de uma rede organizada.

Desde há um ano e cinco meses que a GNR estava a investigar os suspeitos por exercerem a atividade criminosa em Torres Vedras e Mem Martins, no concelho de Sintra, motivo pelo qual foram agora realizadas 32 buscas, a residências e veículos.

Das buscas, resultou a apreensão de quase quatro mil doses de haxixe, 500 de MDMA, 292 de canábis e 29 de cocaína, bem como 14 pés de canábis e 15 plantas do mesmo estupefaciente.

As drogas valeriam cerca de 11 mil euros no mercado.

Foram também apreendidos 11 veículos, mais de 4.500 euros em dinheiro, 80 telemóveis, 34 munições e sete balanças que os suspeitos usavam para supostamente pesar as doses dos estupefacientes.

A ação do Núcleo de Investigação Criminal do Destacamento de Torres Vedras da GNR contou com o reforço da Unidade de Intervenção e do Destacamento de Intervenção de Beja.