O regime excecional e temporário de comparticipação dos testes rápidos de antigénio (TRAg) de uso profissional para diagnóstico do vírus SARS-CoV-2 vai ser renovado para o mês de setembro, confirmou esta segunda-feira o Ministério da Saúde.

Numa resposta enviada à Lusa, o gabinete do ministério liderado por Marta Temido adiantou que “os testes rápidos de antigénio vão continuar a ser comparticipados em setembro”, prorrogando, assim, a medida que arrancou em 01 de julho e que vigorou inicialmente até dia 31. O regime foi renovado pela primeira vez para agosto, cujo prazo limite estava previsto para esta terça-feira.

A comparticipação de TRAg de uso profissional entrou em vigor no dia 01 de julho, sendo que o preço máximo da sua realização não pode exceder os dez euros, segundo a portaria publicada em 30 de junho em Diário da República.

De acordo com informações avançadas recentemente pelo ministério da Saúde ao jornal ECO, o Estado comparticipou 143.954 TRAg realizados nas farmácias e nos laboratórios aderentes no primeiro mês do regime, o que se traduziu numa despesa de 1,4 milhões de euros, não estando ainda disponíveis os dados referentes a agosto.

A comparticipação dos testes rápidos foi implementada pelo governo no âmbito do reforço da política de testagem e como medida de apoio no combate à pandemia de covid-19, em paralelo com o progresso efetuado no processo de vacinação.

Em Portugal, desde março de 2020, morreram 17.730 pessoas e foram contabilizados 1.036.019 casos de infeção confirmados, segundo dados da Direção-Geral da Saúde.

/ RC