Metade dos transexuais já tentou suicidar-se. Preconceito, discriminação dos pares, dificuldade em arranjar emprego e falta de respostas do Estado são algumas das razões que explicam esta taxa assustadora.

Numa altura em que é fácil mudar de nome e de género no registo civil, e em que se discute um polémico despacho que, entre outras coisas, obriga as escolas a garantir que as crianças transgénero podem aceder às casas de banho correspondentes ao sexo com o qual se identificam, mudar de sexo em termos cirúrgicos é um autêntico pesadelo: há muitas pessoas trans com processos por terminar e votadas ao abandono.

Além disso, as cirurgias de mudança de sexo são as únicas que precisam da autorização da Ordem dos Médicos para serem feitas e só se realizam no Hospital da Universidade de Coimbra, em relação ao qual há diversas queixas.

Em debate na TVI24, foram vários os argumentos trocados entre os dois lados da questão.

Uma das figuras da reportagem de Emanuel Monteiro foi André Carvalho, um jovem transexual.

Uma reportagem da autoria do jornalista Emanuel Monteiro, com imagem de Pedro Pereira e edição de imagem de Miguel Freitas.

O papel do Estado nesta questão foi outra das temáticas em análise.