O ministro do Ambiente e da Transição Energética anunciou, esta quinta-feira, a aprovação, em Conselho de Ministros, de uma despesa de 14,6 milhões de euros para pagar a dívida aos transportadores rodoviários até ao final do mês.

Em conferência de imprensa no final da reunião do Conselho de Ministros, João Pedro Matos Fernandes disse que a verba aprovada, “de aproximadamente 14,6 milhões de euros” visa o pagamento das “compensações devidas pelos passes sociais social+, sub-23 e sub-18".

O atraso no pagamento desta dívida gerou contestação por parte dos operadores de transporte público rodoviário que ameaçaram deixar de vender no mês de dezembro os passes com desconto para estudantes do ensino básico, secundário e ensino superior, segundo noticiou na quarta-feira a TSF.

Segundo aquela rádio, a ameaça envolvia dezenas de empresas como a Rodoviária de Lisboa, a Vimeca, TST, Barraqueiro, Scotturb, EVA, Rodoviária do Alentejo, Mafrense, Resende e a Gondomarense.

No setor dos transportes, o Conselho de Ministros aprovou ainda autorizações de despesa para o pagamento, em 2018, de indemnizações compensatórias às empresas de serviço público “SOFLUSA, STCP, CP, Metropolitano de Lisboa, Metro do Porto e outros”.

Na quarta-feira, no parlamento, o ministro do Ambiente anunciou que as indemnizações compensatórias para as empresas públicas de transporte público de passageiros vão ser reforçadas para 30,9 milhões de euros em 2019.