Rosa Grilo é a principal suspeita da morte do marido, o triatleta Luís Grilo que esteve desaparecido mais de um mês e cujo corpo foi encontrado com sinais de violência e em adiantado estado de decomposição a mais de 130 quilómetros da sua casa. 

O crime continua por resolver e a mulher do triatleta tenta justificar, a cada interrogatório, os contornos do crime que continua por decifrar.

Um dos pontos chave para tentar resolver o crime é o telemóvel não só de Rosa Grilo, mas também do marido.

Segundo Rosa Grilo, que se encontra em prisão preventiva, o telemóvel do marido nunca esteve em sua posse, mas sim na dos supostos criminosos entraram na casa e mataram Luís Grilo

Já sobre a bicicleta, a mulher do atleta diz que só percebeu que tinha todas as bicicletas do marido na garagem depois de participar que este tinha desaparecido e que, para não ser apanhada em falso e por ter medo dos suspeitos, decidiu atirar uma das bicicletas ao rio.

Leia as justificações de Rosa Grilo

Na segunda-feira à noite, o telemóvel do seu marido onde ficou?

O telemóvel ficou com o... com o suspeito branco. Eles [os supostos criminosos] estiveram sempre com o telemóvel do Luís. Eu estava com o meu. 

Chegou à meia-noite a casa. Quando chegou o telemóvel do seu marido ainda estava em casa?

Não. Eles ficaram com o telemóvel, ele guardou o telemóvel dele logo durante o dia. Porque eles estavam a mexer no telemóvel.

O senhor antes de se ir embora, levou o telemóvel do seu marido, é isso?

Sim, penso que sim.

E a bicicleta?

A bicicleta fui eu que levei. Deixei-a debaixo da ponte em Vila Franca. Só na quarta-feira é que me lembrei que a bicicleta estava lá e que eu tinha dado a bicicleta como desaparecida e se fossem lá a casa facilmente viam que aquilo não era assim... Eu levei a bicicleta e mandei-a para debaixo da ponte. Mandei-a para dentro de água.

Ok.  

[Interrogatório divulgado pelo Correio da Manhã]