O Tribunal de Guimarães apresentou uma fatura de 11 mil euros de custas judiciais a um arguido que está desaparecido há três anos.

José Dias era um dos 54 arguidos da "Operação Fénix" e respondia pelos crimes de associação criminosa, exercício ilícito de segurança privada e extorsão.

Chegou a estar preso preventivamente e desapareceu 15 dias depois de ter sido libertado.

A família e o advogado acreditam que está morto, até porque recebeu ameaças de morte.

Por isso mesmo, a família não quer pagar as custas de 11 mil euros, dos quais mais de 7 mil correspondem a multas por não ter comparecido às sessões de julgamento.

O problema é que o não pagamento da dívida pode ser alvo de execução de bens, sendo que, como está desaparecido, o tribunal pode querer penhorar os bens do casal.