O Tribunal da Feira condenou a nove anos de prisão um homem suspeito de ter praticado quatro roubos em cerca de duas horas, sob ameaça de arma de fogo, segundo um acórdão consultado esta quarta-feira pela Lusa.

O arguido de 35 anos, que se encontra detido à ordem de outro processo, estava acusado de quatro crimes de roubo qualificado, mas só foi condenado por dois.

O coletivo de juízes deu ainda como provados um crime de sequestro, um de detenção de arma proibida e outro de condução sem carta.

Em cúmulo jurídico, foi-lhe aplicada uma pena única de nove anos de prisão.

Segundo a acusação do Ministério Público (MP), os crimes ocorreram a 20 de junho de 2016, num curto espaço de tempo e com recurso a uma arma de fogo.

O MP diz que pelas 16:20, o arguido furtou uma viatura pelo método de “carjacking” a uma mulher, que se encontrava estacionada numa rua de Espinho, a efetuar uma chamada telefónica.

De acordo com a investigação, o arguido entrou no carro e sob ameaça de uma arma de fogo obrigou a mulher a conduzir até Paços de Brandão, em Santa Maria da Feira, onde a deixou sair, fugindo na viatura, com a carteira da ofendida e dois telemóveis.

O suspeito terá então seguido em direção a Vila Nova de Gaia, onde, cerca de uma hora depois, viria a roubar a mala a uma mulher que tinha acabado de sair de um autocarro e estava a deslocar-se apeada, colocando-se de novo em fuga na viatura roubada.

A acusação refere ainda que cerca de uma hora depois, numa outra rua em Vila Nova de Gaia, o arguido assaltou duas mulheres que seguiam apeadas na companhia da filha de uma delas, de seis anos, obrigando-as, sob ameaça da arma de fogo, a darem-lhe as malas que traziam.

A viatura roubada veio a ser localizada pelas autoridades no dia 28 de junho, junto a uma rotunda em Vila Nova de Gaia.