Um juiz de instrução começa a ouvir esta sexta-feira os 30 detidos na operação de combate ao tráfico de drogas realizada quinta-feira no Grande Porto.

São 26 homens e quatro mulheres, segundo fonte da PSP.

O Tribunal de Instrução Criminal do Porto marcou o início das diligências para a manhã desta sexta-feira, prevendo-se que sejam demoradas, tendo em conta o número de arguidos.

A operação antidroga envolveu quase 400 operacionais em detenções e buscas na cidade do Porto e concelhos periféricos.

Compreendeu a realização de mais de seis dezenas de buscas domiciliárias e não domiciliárias num “conjunto vasto” de locais do Grande Porto, nomeadamente os bairros do Viso, Pasteleira e Fonte da Moura, todos na cidade do Porto, e Vila D’Este, no vizinho concelho de Vila Nova de Gaia, informou o comandante da Divisão de Investigação Criminal (DIC) da PSP do Porto, intendente Rui Mendes.

Outras intervenções ocorreram nos concelhos de Matosinhos, Gondomar, Valongo e Paredes, todos no distrito do Porto.

As buscas permitiram apreender quantidades ainda por somar de drogas, armas de fogo (pistolas, caçadeiras e um revólver), bem como dinheiro alegadamente proveniente no tráfico.

Uma das buscas ocorreu numa habitação precisamente em frente à esquadra da PSP no Viso, Porto.

O comissário Paulo Varandas, também da DIC, disse aos jornalistas que a operação visou “uma rede bastante coesa e bastante organizada”, se dedicava à venda direta de estupefacientes a consumidores do Grande Porto.

/ SS