Um grupo de 190 militares do Exército partiu esta manhã para o Kosovo com o objectivo de garantir a segurança da população e a estabilidade no território, dando continuidade ao trabalho desenvolvido pelos contingentes anteriores.

«Nós vamos dar continuidade ao trabalho que já tem vindo a ser feito, que é garantir a segurança e estabilidade à população», disse à Agência Lusa o tenente-coronel Fernando Teixeira, que comanda os 190 militares que esta segunda-feira partiram do Aeroporto Militar de Figo Maduro, em Lisboa, para o Kosovo e que vão render o contingente actualmente no terreno.

De acordo com o chefe da missão, as funções dos militares portugueses serão, sobretudo, o patrulhamento e a vigilância no terreno, não havendo particular preocupação com as condições de segurança actuais no Kosovo.

«Neste momento o Kosovo é um teatro mais estável, a segurança é também maior, mas não podemos descurar, porque às vezes de onde menos se espera pode vir uma situação mais desagradável e criar-se um ponto de conflito», afirmou o tenente-coronel Fernando Teixeira.

Só na eventualidade de as tropas portuguesas se depararem com alguma situação de conflitualidade é que a cabo-adjunto Assunção terá que assumir as funções para as quais foi destacada.

«Sou socorrista, vou estar a prestar apoio aos nossos militares, eventualmente se algum civil precisar iremos dar o nosso apoio, mas essencialmente vai ser só aos nossos militares», explicou a militar. «Espero bem que o meu trabalho não seja necessário, para bem de toda a gente», acrescentou.

O tenente Luís Mouta, que terá sob seu comando um pelotão com objectivos semelhantes ao resto da missão ¿ participar na segurança das instalações ocupadas, patrulhamentos e vigilância no terreno para garantir a estabilidade necessária ¿ não prevê dificuldades de maior no Kosovo.

«Tenho confiança que vamos conseguir atingir os objectivos estipulados e com o mesmo nível dos camaradas que vamos render», disse.

O militar referiu ainda que o trabalho no terreno pode beneficiar da boa imagem que as tropas portuguesas têm no território.

Os 190 militares que partiram vão render o actual contingente em funções da Força de Reacção Rápida da KFOR (KTM/KFOR - Kosovo Tactical Manouevre/Kosovo Force) e pertencem à Brigada de Intervenção do Exército.

O contingente português na KFOR ¿ força de interposição da NATO no Kosovo ¿ é constituído por um total de 295 militares, divididos entre o Batalhão Reserva Táctica (290 militares) e o QG (5 militares).
Redação / SM