A vida e as histórias da governanta de Salazar são o tema do novo livro de Joaquim Vieira. A biografia da mulher que acompanhou o ditador durante mais de 40 anos conta o quotidiano de Maria de Jesus Freire Caetano e até a paixão não correspondida da governanta pelo homem forte do Estado Novo.

Maria de Jesus tratou das lides domésticas da casa de Salazar entre 1925 e 1970. O contacto diário entre ambos e o mistério que envolvia a vida privada do ditador deram azo a muitos boatos que sobreviveram até aos dias de hoje.

Dona Maria fazia parte de muitas dessas histórias, que são contadas no livro «A Governante ¿ D. Maria, companheira de Salazar», do jornalista Joaquim Vieira.

Na obra, a mulher que acompanhou o ditador confessa a sua paixão pelo patrão, mas nega os boatos de que teria existido uma relação entre ambos.

Apesar do amor não correspondido, a governanta de Salazar era a fiel confidente do chefe de Governo e as suas opiniões chegaram mesmo a influenciar a vida política portuguesa durante o Estado Novo.