O cidadão espanhol suspeito de ter assaltado um banco em Espanha, na quarta-feira, e capturado depois em Campo Maior, foi libertado pelo Ministério Público e detido, em seguida, pelas autoridades espanholas, segundo fonte da GNR.

A fonte da GNR explicou hoje à Agência Lusa que o Ministério Público de Elvas, cidade localizada a poucos quilómetros da fronteira, mandou libertar o homem, na quarta-feira à noite, mediante a medida de coação de Termo de Identidade e Residência (TIR).

O suspeito foi, em seguida, detido pela Guardia Civil (Espanha) em território espanhol. Em Portugal, o homem, de 42 anos, vai responder perante a Justiça por um crime de posse de arma ilegal.

O cidadão espanhol é suspeito de ter assaltado um banco em La Codosera (Espanha), tendo encetado a fuga para território português onde foi detido pela GNR, em Campo Maior.

Durante a operação, as autoridades portuguesas recuperaram 7.830 euros e uma pistola.

A detenção ocorreu depois de o Centro Coordenador Policial e Aduaneiro (CCPA) de Caia-Elvas ter emitido, às 14:00 de quarta-feira, um alerta da Guardia Civil espanhola dirigido ao dispositivo da GNR adjacente à fronteira com Espanha.

A GNR indicou que o alerta dava conta do assalto, realizado «por um indivíduo encapuzado e armado com uma pistola», acrescentando que o suspeito tinha fugido num veículo ligeiro de passageiros.

A informação levou à mobilização para o terreno de um dispositivo de interceção, tendo sido comunicado, algum tempo depois, que as autoridades espanholas já tinham detetado a viatura e a Guardia Civil iniciara a sua perseguição, «dirigindo-se o suspeito para a localidade de Campo Maior».

À entrada da vila alentejana, segundo a GNR, o homem abandonou o automóvel e encetou a fuga a pé, tendo os militares do posto local, reforçados por uma força de intervenção rápida (FIR), realizado «uma busca nas imediações», com o objetivo de localizarem o indivíduo.

O suspeito acabou por ser detetado «numas instalações sanitárias públicas», no interior das quais «se tinha barricado», relatou a força de segurança.

«Militares da FIR efetuaram, então, o arrombamento da porta dessas instalações, logrando capturar o suspeito, sem que este tenha esboçado qualquer resistência», pode ler-se num comunicado da GNR.

O espanhol foi revistado, tendo sido encontrada na sua posse a quantia de 6.350 euros. No local estava também um saco com mais 1.480 euros, o que totaliza 7.830 euros, em numerário do Banco Central de Espanha.

Uma «busca minuciosa» efetuada no local também permitiu à GNR encontrar a pistola de calibre 6.35 mm que terá sido utilizada no assalto, a qual as autoridades afirmam ter sido previamente atirada pelo indivíduo para um «recipiente de lixo».

«Já no posto da GNR, onde esteve sob detenção, o suspeito foi identificado, verificando tratar-se de um cidadão de nacionalidade espanhola, de 42 anos e residente na cidade vizinha de Badajoz», acrescentou a força de segurança.

O homem, segundo a GNR, já em dezembro de 2011 tinha sido detido por militares do posto de Campo Maior, «quando se preparava para assaltar um estabelecimento comercial» da vila alentejana.

Na altura, recordou a GNR, o indivíduo reagiu, «tentando atropelar um dos militares e disparando uma arma de fogo contra os mesmos, antes de se proceder à detenção».
Redação / CLC