O ministro da Administração Interna inaugurou esta quarta-feira o posto da GNR de Sobral de Monte Agraço, um investimento de 1,5 milhões de euros aguardado há 16 anos devido às condições precárias em que os militares estavam a exercer funções.

Durante o seu discurso, Miguel Macedo «lamentou que, num processo com 16 anos, só agora a obra lançada pelo anterior Governo [PS] tenha sido concluída» e sublinhou que as instalações oferecem «condições operacionais e de conforto aos militares» e «têm dignidade para atender cidadãos».

A comandante do destacamento da GNR de Torres Vedras, Ana Pereira, explicou aos jornalistas que os 24 militares do posto territorial estavam a trabalhar «em instalações provisórias, numa escola primária cedida há dois anos pela câmara municipal».

A mudança para instalações provisórias deveu-se à «falta de condições de trabalho e alojamento dos militares» no anterior posto, que funcionava numa cave arrendada onde chovia.

Além do espaço provisório, a autarquia cedeu um terreno, onde foi construído o novo posto durante nove meses, ao fim de 16 anos de um processo acompanhado pelo presidente da câmara, que reivindicou novas instalações, dadas as condições em que os militares estavam a trabalhar.

O autarca, António Bogalho, mostrou-se satisfeito com o culminar do processo, sublinhando que, além de serem instalações novas, «ninguém se atropela para conseguir trabalhar».

Depois de concluídas, as instalações estiveram nos últimos seis meses encerradas sem serem inauguradas, devido a atrasos na instalação de eletricidade e de telecomunicações.

Incluída no pacote de compensações do Governo à região Oeste pela deslocalização do aeroporto da Ota, a obra foi lançada em julho de 2010 pelo então secretário de Estado da Administração Interna, José Conde Rodrigues.

O acordo, assinado em setembro de 2008 entre Governo e município, previa que a construção estivesse concluída em dezembro de 2009.