O pai de um aluno de 11 anos da Escola EB 2 e 3 de Palmeira, Braga, vai apresentar queixa no Ministério Publico contra um professor de História que terá dado esta terça-feira um «cachaço violento» ao filho, deixando-o com tonturas, informa a Lusa.

Almeno Silva adiantou à Lusa que após o estalo que o professor alegadamente lhe deu na sala de aula o jovem ficou «indisposto e com tonturas», o que motivou a sua ida, por precaução, ao serviço de urgência do Hospital da Misericórdia de Vila Verde.

«O meu filho não fez nada, apenas se riu de duas colegas que estavam zangadas», afirmou, garantindo que é um aluno normal e que nunca teve qualquer problema de disciplina.

O progenitor garante que vai «direitinho ao Ministério Publico» logo que a criança saia da Urgência hospitalar, frisando que vai, também, apresentar queixa ao Conselho Directivo da Escola.

«Andam a dizer que são os alunos ou os familiares a tentar agredir professores ou funcionários, mas, pelos vistos, o contrario também acontece», lamentou.

Contactado pela Lusa, o presidente do Conselho Executivo da Escola, Jorge Antunes escusou-se a prestar declarações, dizendo apenas que ainda não tem conhecimento da queixa e sublinhando que, «mesmo que tivesse não iria deitar achas para a fogueira».

O caso ocorre no dia em que os pais dos alunos da Escola Francisco Sanches de Braga se reúnem para analisar os problemas de disciplina ocorridos recentemente e que envolveram duas alegadas agressões de familiares de alunos, a um professor e um vigilante, e ameaças de um aluno a uma professora.