A Polícia de Segurança Pública (PSP) anunciou esta segunda-feira a detenção de dois homens, suspeitos da autoria dos assaltos feitos a farmácias na área de Lisboa na última semana.

De acordo com comunicado do Comando Metropolitano de Lisboa da PSP, através da Divisão de Investigação Criminal, foram detidos dois homens, alegados autores dos «vários roubos a farmácias ocorridos na última semana na área metropolitana de Lisboa».

Os dois homens, com 35 e 40 anos de idade, foram detidos durante a madrugada de domingo, sendo suspeitos da autoria de vários roubos e tendo, no passado dia 06 de julho, assaltado uma farmácia utilizando uma seringa como forma de ameaça e levando 200 euros em dinheiro.

Um dos assaltantes utilizava óculos escuros, enquanto o outro, de «rosto coberto», se encontrava junto à porta do estabelecimento, como vigia.

O mesmo crime ocorreu novamente na quarta-feira, numa farmácia da Estrada da Luz: os dois indivíduos levaram 60 euros em dinheiro, sendo que a dupla se dirigiu de seguida a outra farmácia da zona, levando então cerca de 400 euros.

Na quinta-feira, os dois homens assaltaram uma outra farmácia em Algés, tendo levado 160 euros em dinheiro.

O sistema de videovigilância, presente em algumas das farmácias, tornou possível «verificar as semelhanças de características dos suspeitos e, através da Unidade Metropolitana de Informações Criminais, as suas imagens foram difundidas pelo dispositivo local, no sentido de localizar os assaltantes».

No sábado, o homem que servia de vigia durante os assaltos foi identificado por polícias de serviço de prevenção da Divisão de Investigação Criminal na rua Maria Pia, «uma zona conotada pelo tráfico de estupefacientes», sendo que o mesmo foi intercetado, confirmando-se que se tratava de um dos indivíduos procurados, com 40 anos de idade.

Em colaboração com a PSP de Oeiras, Benfica e Belém, os polícias da Divisão de Investigação Criminal «desenvolveram diligências para tentar intercetar o outro suspeito que usava a seringa nos assaltos, tendo-o vindo a fazer ao início da noite, na zona de Belém, junto ao Mosteiro dos Jerónimos».

O suspeito encontrava-se na posse de uma seringa, sendo que poderia tratar-se da mesma utilizada como forma de ameaça durante a prática dos roubos, de forma a «continuar a atividade delituosa».

Nas instalações policiais, os dois homens «foram reconhecidos pelas vítimas dos assaltos e também através dos sistemas de videovigilância», tendo ainda sido realizadas duas buscas domiciliárias e apreendidas peças de vestuário utilizadas em alguns dos roubos.

Após todas as «diligências processuais pertinentes», os indivíduos vão ser presentes no Tribunal de Instrução Criminal de Lisboa para primeiro interrogatório judicial e para aplicação da respetiva medida de coação.
Redação / CLC