O Ministério Público está a investigar um crime de peculato e participação económica em negócio envolvendo a Misericórdia de Figueira de Castelo Rodrigo, disse esta segunda-feira fonte judicial.

Fonte da PJ confirmou que remeteu para o MP uma proposta de acusação relativa a este caso, que envolve aquela instituição de utilidade pública.

De acordo com as autoridades, «foi possível recolher diversos elementos de prova» que indiciam que responsáveis dessa instituição «se terão apropriado indevida e ilicitamente de bens e valores pertencentes àquela instituição».

A PJ revela ainda em comunicado que foram «recolhidos indícios da concretização de negócios jurídicos manifestamente lesivos do património e interesses da instituição, beneficiando indevidamente com os mesmos uma empresa privada detida por um familiar directo do responsável máximo da instituição lesada».

Contactado pela agência Lusa, o presidente e provedor da Misericórdia de Figueira de Castelo Rodrigo, Fernando Carrilho, recusou prestar declarações.
Redação / CLC