A Plataforma de Acção pela Ética Animal criticou hoje o vereador do Partido Ecologista os Verdes (PEV) na Câmara de Setúbal, André Martins, por ter votado a favor de uma corrida de toiros na Feira de Santiago.

Em comunicado, a associação defendeu que foi exposta, pelo vereador do PSD, uma moção em sessão de Câmara que defendia o cancelamento da corrida, que contou com o apoio do PS.

«Era expectável, de igual modo, o apoio do Partido Ecologista os Verdes, uma vez que o seu vereador e dirigente nacional aprovou a documentação interna do seu próprio partido, que o obriga a ser sempre e em qualquer circunstância anti-touradas», refere o documento.

«Para nosso espanto e tristeza, André Martins, vereador do Urbanismo, manifestou que iria votar favoravelmente à tourada, contrariando as promessas feitas aos militantes e simpatizantes de os Verdes», acrescenta.

Com quatro votos contra e quatro a favor, exerceu a presidente da autarquia o voto de qualidade para fazer aprovar a tourada.

A associação defende que existem questões que permanecem sem resposta, como o «porquê da tourada ser paga com dinheiros públicos, o porquê da contratação de uma praça de touros desmontável com historial de acidentes e quem, de facto, ganha com isso».

«Há uma tal intransigência neste executivo em relação a este assunto, que leva até com que um dirigente nacional de um partido ecologista vote a favor das touradas, amordaçado a interesses difíceis de descortinar. A verba paga pela autarquia corresponde a mais do dobro do pagamento habitual desta mesma praça de touros», refere.

A associação anunciou também que irá avançar com um protesto no dia e no local da tourada, estando a ser equacionadas ainda outras formas de luta.

A Lusa tentou contactar o vereador André Martins, mas foi informada que o vereador desconhecia o comunicado em causa, reservando para mais tarde uma eventual reacção.