O Ministério da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior anunciou esta sexta-feira um “reforço de vagas” nos cursos com mais procura no ensino superior, com mais 4.700 lugares, que vão ficar disponíveis ainda na primeira fase do concurso nacional.

Em comunicado, o ministério explica que as “vagas no ensino superior crescem para um total de 56.866, aumentando mais 4.700 vagas face ao valor divulgado inicialmente em julho”.

Representa um aumento de 10% face ao ano passado, com reforço de vagas sobretudo nos cursos com mais procura e incluindo mais cerca de 400 vagas nos cursos com maior concentração de melhores alunos, as quais crescem 26% face ao ano anterior”, refere.

A nota adianta ainda que as “novas vagas ficam já disponíveis na primeira fase do concurso nacional de acesso 2020/21”.

 O reforço de vagas ocorre sobretudo nos cursos com mais procura, incluindo mais 399 vagas nos 17 ciclos de estudo com maior concentração de melhores alunos face a 2019 (excetuando Medicina), que assim têm um crescimento de vagas de cerca de 26% face ao ano anterior”, acrescenta o comunicado.

Ainda face a 2019, o aumento de vagas é de 12% nos politécnicos e de 09% nas universidades.

Os candidatos à primeira fase do Concurso Nacional de Acesso ao ensino superior público atingiram os 62.675, o maior número "nos últimos 25 anos", anunciou em 24 de agosto o Ministério da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior.

No comunicado de hoje, o ministério revela que os novos valores revistos do número de vagas para todos os cursos serão “disponibilizados, em detalhe, até dia 08 de setembro no sítio na Internet da Direção-Geral do Ensino Superior (DGES)”.

Decorrente da revisão do número de vagas agora concretizado, todos os candidatos que submeteram a sua candidatura no prazo de candidatura à primeira fase do concurso nacional de acesso ao ensino superior público podem, caso pretendam, atualizar as suas opções de candidatura entre 09 e 11 de setembro na plataforma de candidaturas 'online'”, no sítio na Internet da DGES, acrescenta.

Os resultados da colocação dos estudantes decorrente da primeira fase do concurso nacional de acesso são divulgados na segunda-feira, 28 de setembro, no sítio da DGES.

Após a conclusão da primeira fase do concurso nacional de acesso, o número de vagas do regime geral de acesso ao ensino superior poderá ter ainda “um novo reforço adicional na segunda fase, caso venha a ser considerado adequado, nos novos termos legais em vigor”.

Para o ministério o aumento “representa um sinal de confiança dos jovens e das suas famílias na formação superior e nas suas instituições”.

O número de candidatos ao presente concurso é o mais elevado desde 1996”, destaca.

No documento, a tutela sublinha que apesar de pela primeira vez em Portugal metade dos jovens de 20 anos estarem inscritos no ensino superior, “as metas para as quais Portugal se deve orientar no contexto europeu exigem atingir uma taxa média de frequência no ensino superior de seis em cada 10 jovens com 20 anos até 2030, assim como alargar as qualificações de toda a população, atingindo 40% de graduados de educação terciária na faixa etária dos 30-34 anos até 2023 e 50% em 2030”.

O ministério disse ainda estimar que “o número total de novos ingressos no ensino superior em todos os ciclos de estudos, públicos e privados, atinja cerca de 90 mil novos estudantes matriculados no próximo ano letivo”.

/ BC