Em plena pandemia de covid-19, o Serviço Nacional de Saúde (SNS) tenta acautelar ao máximo as medidas de combate à gripe, procurando que as duas doenças não esgotem as capacidades instaladas nos hospitais portugueses. Uma das medidas das autoridades de saúde passa pela campanha de vacinação gratuita, que este ano se alarga aos doentes imunodeprimidos.

Com efeito, e segundo a norma publicada pela Direção-Geral da Saúde (DGS), a vacina para a gripe vai ser gratuita para os seguintes grupos:

  • pessoas com idade igual ou superior a 65 anos;
  • grávidas;
  • pessoas com mais de seis meses de idade que apresentem as seguintes condições: residentes em instituições (incluindo estruturas residenciais para pessoas idosas), utentes de serviço de apoio domiciliário e doentes da Rede Nacional de Cuidados Integrados Continuados, reclusos em estabelecimentos prisionais, doentes com determinadas patologias ou condições crónicas;
  • profissionais de saúde, bombeiros e profissionais dos estabelecimentos prisionais.

Com efeito, e sendo o grupo dos imunossuprimidos a grande novidade no plano, são estas as doenças ou condições abrangidas na vacinação gratuita:

 

Doenças

Diabetes mellitus
Trissomia 21
Fibrose quística 2
Défice de alfa-1
Doença pulmonar intersticial sob terapêutica imunossupressora
Doença Pulmonar Obstrutiva Crónica
Doença neuromuscular com comprometimento da função respiratória, da eliminação de secreções ou com risco aumentado de aspiração de secreções
Imunodepressão primária, secundária a doença e secundária a terapêutica

Condições

Hemodiálise
Pessoas submetidas a transplante de células precursoras hematopoiéticas ou de órgãos sólidos
Pessoas a aguardar transplante de células precursoras hematopoiéticas ou de órgãos sólidos
Imunodepressão primária, secundária a doença ou secundária a terapêutica

A DGS alarga a recomendação da vacina a outros grupos com doenças ou condições cardiovasculares, pulmonares, hepáticas, renais ou neuromuscular. A vacina é também recomendada a pessoas que sofrem de obesidade.

A recomendação da DGS vai no sentido de que a vacina seja tomada até ao fim do ano civil.

Para quem não está abrangido pelo plano de vacinação gratuita, a DGS refere que as vacinas podem ser adquiridas nas farmácias comunitárias através de prescrição médica. A compra deste produto será comparticipada pelo Estado em 37%.

A primeira fase da vacinação gratuita tem início a 28 de setembro e "destina-se à vacinação em determinados contextos, incluindo residentes, utentes e profissionais de estabelecimentos de respostas sociais, doentes e profissionais da rede de cuidados continuados integrados, profissionais do SNS e às grávidas".

A segunda fase deve começar a 19 de outubro e vai integrar os outros grupos abrangidos, incluindo cidadãos com idade igual ou superior a 65 anos.

A 2ª fase, que tem início previsto a 19 de outubro, integrará os outros grupos alvo abrangidos pela vacinação gratuita, incluindo os cidadãos com idade igual ou superior a 65 anos.

António Guimarães