A Comissão Técnica de Vacinação (CTV) contra a covid-19 já entregou um parecer à Direção-Geral da Saúde (DGS) com a proposta para vacinação com terceira dose. Ao que a TVI24 apurou, fazem parte dos grupos definidos pela CTV os doentes infetados com VIH/SIDA, doentes com cancro ativo e que estejam a realizar tratamento com recurso a quimioterapia, pessoas com imunodeficiências primárias e pessoas transplantadas.

Nesse sentido vão as palavras de Manuel Carmo Gomes, um dos membros da CVT, que lembra que estes doentes devem ter mais uma dose de vacinação, porque "o esquema normal com duas doses eventualmente não foi suficiente".

Certo é que estes são os doentes cuja imunidade se perde mais rápido, como explicou Miguel Prudêncio à TVI24: "Se vier a ser necessária uma terceira dose por perda de eficácia, a acontecer, vai acontecer primeiro nos mais frágeis", afirma.

Por agora, e de acordo com o que disse o vice-almirante Henrique Gouveia e Melo, que está a coordenar a task force de vacinação, estão já identificadas 100 mil pessoas para esta primeira lista de prioridades.

Agora, a decisão está nas mãos da DGS, que aguarda mais dados científicos para emitir uma decisão sobre este caso.

TVI24 contactou a DGS, mas não obteve resposta sobre o assunto.

António Guimarães