A Associação Nacional de Unidades de Saúde Familiar (USF-AN) queixou-se esta terça-feira de falhas em plataformas informáticas que, alega, impedem médicos e enfermeiros de aceder ao histórico de vacinas ou registar a administração de uma nova.

Em comunicado, a associação critica "a enorme lentidão" no acesso à aplicação Vacinas, inserida na Plataforma de Dados de Saúde, e que, ao contrário do que era suposto, "milhares de profissionais" dos centros de saúde continuam sem acesso "ao histórico de vacinação dos utentes, outrora já informatizado".

De acordo com a mesma nota, a Plataforma de Dados de Saúde "tem bloqueios constantes, não permitindo registar" a vacina no dia em que foi administrada ao utente, "o que aumenta o risco de falha".

A USF-AN exige que "seja feita a migração" de "todos os dados das vacinas já informatizados" dos utentes para a nova aplicação e que, até lá, seja suspenso o seu uso.

A Lusa aguarda uma reação do Ministério da Saúde ao teor do comunicado da USF-AN.