A segunda fase de candidatura ao concurso nacional de acesso ao ensino superior termina esta sexta-feira com 11.614 vagas disponíveis, incluindo em Medicina e instituições que tinham preenchido todos os lugares na primeira fase, segundo dados oficiais.

De acordo com as estatísticas de candidatura diárias publicadas na página da Direção-Geral do Ensino Superior (DGES), até ao final do dia de quarta-feira já tinham sido submetidas quase 16 mil candidaturas à segunda fase do Concurso Nacional de Acesso (CNA) ao ensino superior, o que significa que nem todos vão conseguir lugar.

O total de vagas a concurso nesta fase representa quase o dobro daquelas que sobraram na primeira fase do CNA, altura em que ficaram 6.734 lugares por preencher.

Ainda assim, segundo dados divulgados pelo Ministério da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior (MCTES), vão a concurso na segunda fase menos 6,8% de vagas do que em 2018.

O número de vagas disponíveis na segunda fase do Concurso Nacional de Acesso é sempre superior ao número de vagas sobrantes no final da primeira fase do Concurso Nacional de Acesso já que se somam àquelas vagas sobrantes as vagas ocupadas na primeira fase do concurso em que não se concretizou a matrícula e inscrição”, recorda a tutela.

Para além de nove lugares em aberto no muito procurado curso de Medicina – quatro na Universidade da Beira Interior, um na Universidade de Coimbra, um na Universidade Nova de Lisboa, dois no Instituto de Ciências Biomédicas Abel Salazar e um na Universidade de Lisboa – há ainda vagas disponíveis em universidades e escolas que tinham preenchido todos os lugares na primeira fase do concurso.

É o caso da Universidade Nova de Lisboa, que pela primeira vez ficou sem vagas na primeira fase, mas que tem ainda disponíveis para a segunda fase, por falta de concretização de matrículas, 204 vagas.

As três maiores escolas de enfermagem – Porto, Lisboa e Coimbra – e o ISCTE – Instituto Universitário de Lisboa, também completamente preenchidos na fase inicial, têm, em conjunto, mais de 200 vagas em aberto.

Engenharia Aeroespacial, o curso do Instituto Superior Técnico da Universidade de Lisboa, que registou a média de entrada no ensino superior mais elevada na primeira fase, leva duas vagas a concurso na segunda fase.

O número de colocados na primeira fase do concurso de acesso ao ensino superior aumentou para os 44.500 estudantes, 1,2% acima de 2018, segundo dados oficiais divulgados a 08 de setembro que indicam ainda que mais de metade entrou na sua primeira opção.

A segunda fase de candidaturas decorre até ao final do dia de hoje e os resultados são divulgados a 26 de setembro.

Segue-se ainda uma terceira fase de candidatura, entre 3 e 7 de outubro.