A Escola Secundária Eça de Queiroz, em Lisboa, e o Centro de Acolhimento para Refugiados da Bobadela, em Loures, foram vandalizados com mensagens racistas e xenófobas durante a madrugada de sexta-feira.

O Conselho Português para os Refugiados já veio lamentar a situação, a manifesta a sua "preocupação", repudiando "qualquer atitude de violência de ódio na sociedade portuguesa".

As mensagens não passaram despercebidas ao deputado do Bloco de Esquerda Ricardo Moreira, que condenou um "raide de pinturas racistas e xenófobas" na escola, que fica nos Olivais.

Algumas das fotografias foram partilhadas pelo próprio, sendo que grande parte delas têm comentários injuriosos para com a comunidade negra.

Já nos muros do Centro de Acolhimento para Refugiados da Bobadela, também os árabes foram alvo das mensagens: "Árabes e pretos fora".

Outras instituições ou murais, como a Escola Secundária de Sacavém ou o mural de José Carvalho (homem que morreu alegadamente às mãos de radicais da extrema-direita) também foram vandalizados.

Esta situação surge depois de também a estátua do Padre António Vieira, em Lisboa, ter sido vandalizada. 

António Guimarães